JUNGLE RED de Carlota Lagido

©Alípio Padilha

Jungle Red é verdadeiramente sobre a nostalgia do paraíso.
É uma ficção, um bando de pássaros à procura do Simurgh, o rei dos pássaros - uma criatura híbrida, fénix, macho, fêmea, outro. Como diz Jorge Luís Borges, um ser composto de outros seres, um pássaro feito de pássaros. É sobre o desejo de plenitude para o mundo. É uma selva idílica, um jardim supremo onde tudo coexiste em harmonia. Em sânscrito a palavra paradesha/paraíso significa país supremo. Neste projeto exploram-se diferentes dimensões da utopia, paradigmas de lugares ou estados edénicos e entende-se o Paraíso como uma metáfora da aspiração ao bem-estar comum entre humanos (e humanos), animais e natureza, e insiste-se na ideia de que, na demanda desse estado edénico, exista a possibilidade de se entender toda a disfunção do mundo. A linha dramatúrgica da peça apoia-se numa viagem virtual que parte do norte de Portugal, segue para o Norte de África, Palestina, Síria, Iraque, Irão. Nesta viagem ao início de tudo, compilam-se etnografias de um imaginário do passado - pessoal, histórico e ficcional - destroem-se e constroem-se visões para os nossos paraísos futuros.

Conceção e direção artística Carlota Lagido
Assistente de direção artística
Pietro Romani
Consultoria artística
José Capela
Consultoria Estudos Feministas e
Árabes
Shahd Wadi
Banda sonora e composição
Pedro Melo Alves
Figurinos,design de cena, video
Carlota Lagido
Desenho de luz
Nuno Patinho
Designngráfico
Carlos Guerreiro
Interpretação
Bruno Senune, Guilherme Pompeu, Joana
Castro, Mariana Amorim, Pedro Melo Alves
Filme documentário, registo e promo
Francisca Manuel
Produção
PI-Produções Independentes, O Lugar do Meio/Carlota
Lagido
Co-produção
Festival DDD - Dias da Dança
Apoios
Câmara Municipal de Lisboa/Polo Cultural das Gaivotas/Boavista, TEMPS D'IMAGES Lisboa, Festival Bons Sons/Materiais Diversos, ARTETOTAL/gnration, JACC/Salão Brasil, Vaca Magra, OPART/Companhia Nacional de Bailado/Estúdios Victor Cordon e Teatro de Ferro.
Jungle Red é um espetáculo financiado pela Fundação GDA e pela República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes.
Agradecimentos
Ana Rocha, Gaby Barros, David Ramalho, Nuno Labau, Sérgio Diogo Matias, Ana Pontes, Gonçalo Cabral, Ana Costa, Carolina Silva, Susana Pereira.