MARBLE de Camila Neves


“O amor é, antes de tudo o mais, um impulso ancestral circunscrito a uma parte muito pequena do cérebro, mas enormemente complexa” - (E.Punset).

MARBLE sugere um pensamento de dois corpos atuais sobre a temática do amor na sua complexidade pura, com a tenacidade necessária para uma jornada (im)possível no tempo com recurso às memórias enlaçadas nos dois corpos numa dicotomia entre as que lhes pertencem no seu enquadramento e as que lhes são impostas pela própria sociedade. Questiona-se sobre a capacidade de dois corpos interpretarem o amor esculpido no passado, refletindo sobre a própria história das suas ações, numa maximal ponderação sobre si mesmos.

Num universo vestido de branco e com dois corpos que se igualam e apagam fronteiras físicas e de género, vislumbramos pequenos fragmentos que congelam no tempo e se convertem em esculturas momentâneas.

Num momento perfeitamente único, o público é convidado a admirar esta escultura mutável, na forma e no tempo, do seu próprio ângulo em torno dela, conferindo a si mesmo uma visão (im)perfeitamente singular sobre o que se passa à sua volta.


Direção artística
Camila Neves
Interpretação
Camila Neves e Joana Castro
Composição sonora
Flávio Rodrigues
Espaço cénico
Camila Neves
Figurinos
David Pinto
Teaser e vídeo promocional
Flávio Rodrigues
Vídeo Completo
Camila Neves
Documentação fotográfica
José Caldeira (Teatro Municipal do Porto) e Tiago Aguiar
Agradecimentos
Bruno Senune, Osvaldo Lemos e Tiago Aguiar
Duração
Apróx. 30 min