LET IT GO, LO



A performance “Let it go, Lo!” surge a partir de “Lolita”, uma personagem criada por Vladimir Nabokov, com a adaptação no cinema por Stanley Kubrick e mais tarde em 1997 por Adrian Lyne, como uma viagem pela minha adolescência.
Um filme que para mim se tornou uma referência, tendo “Lo” enquanto imaginário e musa inspiradora para a construção de um corpo como território incomum e interdito.
Procuro explorar a essência queer. O estranho, desconhecido ou mesmo ridículo deste corpo, levando-me a pesquisas de imagens um tanto clichéticas de identidade de género. 
Enquanto performer exponho-me ao olhar indiscreto do público como uma paisagem efémera que está para além do lugar tangível e conquistado, despertando o sentido de voyeur por quem ali passa.

_


"Let it go, Lo!" arises from "Lolita" (a character created by Vladimir Nabokov, with the film adaptation by Stanley Kubrick and later in 1997 by Adrian Lyne) as a journey through my teenage years.
A film that became a reference for me, having "Lo" as an imaginary and inspiring muse to build a body as an unusual and forbidden territory.
I am interested in exploring the queer. The strange, unknown or even a ridiculous body. Leading me into a search of cliche images of the gender identity.
As a performer I expose myself to the indiscreet gaze of the audience as an ephemeral landscape that is beyond the tangible and achieved place, awakening the sense of voyeurism for those who pass there.
Concepção, direcção, interpretação e música original Joana Castro
Fotografia Lino Cabral
Apoio à residência Maus Hábitos
Registo de video Rogério Nuno Costa
Duração 27 min
for more information contact: joana_cst@hotmail.com