LANDING de Né Barros



Um espetáculo que parte da ideia de chegada, de aterragem num estado de coisas. Os corpos em cena são simultaneamente corpos apátridas (o corpo dançante como desterritorialização, sem pertença nem pátria) e corpos da memória de um lugar, de uma terra, de um continente. Estes corpos são lugar de entrada onde circulam imagens de guerra e de paraíso, imagens de agora e imagens antigas. É esse o desenlace. Os temas, como noutros trabalhos anteriores da coreógrafa, são mais direções processuais, pistas e paisagens sobre o que um corpo em gestos se permite alcançar. Amoral, este corpo batalha em livre destino, e é a insistência desse curso que se vai fazendo terra.

Direcção e coreografia → Né Barros
Música Alexandre Soares e Biagio Marini (tema "Passacaglio")
Interpretação André Mendes, Belisa Branças, Bruno Senune, Carlos Filipe Oliveira, Joana Castro, Flávio Lehan, Flávio Rodrigues, Pedro Rosa, Ricardo Pereira, Sónia Cunha, Valter Fernandes
Intervenção cénica e video Gabriela Vaz-Pinheiro
Figurinos Flávio Rodrigues
Desenho de luz Alexandre Vieira
Poemas William Blake
Video instalação Né Barros/Filipe Martins
Apoio à voz Antónia Reis
Produção executiva Tiago Oliveira
Produção Balleteatro
Co-Produção Centro Cultural Vila Flor e Teatro Nacional S. João 
Apoio Teatro Camões