INTERMITÊNCIAS #3 de Joclécio Azevedo



Continuam obcecados pela ideia de tempo comum, de tempo partilhado, de qualidade do tempo, de fractura do tempo. Interessa-nos o tempo indefinido, o tempo não produtivo, o tempo de vagar. Interessa-nos perceber o que nos motiva e como nos motivamos para além do que são as nossas especializações, para além daquilo que fazemos com o intuito de sobreviver, ou de ajudar a mover a engrenagem social e política na qual nos inserimos. Um ensaio liga-se comummente à ideia de repetição, de algo que se faz para ser refeito, reproduzido, aperfeiçoado. Mas o que ensaiamos nós quando nos repetimos? Como aprendemos com a repetição? Como nos prendemos com a repetição? Como nos libertamos do que aprendemos? Como desaprender?
Este é o terceiro momento aberto ao público do projeto “Intermitências”, desenvolvido numa série de residências artísticas durante 2015 e estreado em 2016.

Concepção → Joclécio Azevedo
Bailarinos → André Mendes, Bruno Senune, Camila Neves e Joana Castro
Colaboração → Jérémy Pajeanc, Kubik (aka Victor Afonso)
Figurinos → Jordann Santos
Desenho e Operação de Luz → Miguel Carneiro
Apoio à Residência → Companhia Instável
Produção Executiva e Difusão → Circular Associação Cultural
Coprodução → Teatro Municipal do Porto e Circular Associação Cultural