ESTRANGEIROS de Né Barros



Estrangeiros são um novo projecto para desfrutar dos corpos e das suas imagens e lhes desvendar aquilo pelo qual os faz, justamente, estrangeiros. Aparentemente carregados de identidade definida, os estrangeiros são, afinal, figuras transversais esvaziadas. No seu deferir, estas figuras são deslocações ora de clichés de identificação ora de estranhezas genuínas comportamentais. Estas figuras oscilam entre um colectivo, um padrão, e um impessoal, solitário. Isolados, os estrangeiros vão cumprindo, exterior ou interiormente, a ideia de um estrangeiro face ao mundo que nos persegue. Por isso, não poderia esquecer “O estrangeiro” de Albert Camus como o homem absurdo, como o mergulho no sentimento do absurdo, como nos nota Sartre sobre este estrangeiro.

Concepção e direcção Barros
Música e interpretação ao vivo Alexandre Soares, Jorge Queijo
Performers Bruno Senune, Flávio Rodrigues, Joana Castro, Pedro Rosa
Arte digital João Martinho Moura
Desenho de luz Alexandre Vieira
Figurinos Flávio Rodrigues e Né Barros
Produção executiva Tiago Oliveira
Parceiros Engagelab, Universidade do Minho
Produção Balleteatro
Co-produção Capital Europeia da Cultura de Guimarães 2012, TNSJ